Chega de abacaxi: uma ideia diferente para as Cestas de Natal deste ano

As cestas de Natal, que por esta semana já começaram a chegar aos supermercados do Brasil, são um brinde comum de final de ano que as empresas e empregadores costumam oferecer às equipes, apropriadas à época e com uma série de adequações ao perfil de cada público: desde as que são entregues em um balde ou bacia cuja utilidade perdura muito tempo após o consumo do último pêssego em calda, até as feitas exclusivamente com produtos de luxo ou importados.

Motivações e compensações à parte, geralmente é uma medida simpática e que promove reflexões positivas tanto da parte de quem distribui como da que recebe. Pessoalmente tenho o hábito de oferecer cestas de Natal a pessoas que não são meus funcionários mas trabalham para meu benefício durante todo o ano, e simpatizo com esta tradição, especialmente quando vem acompanhada de outras atitudes positivas que a complementem e estejam adequadas ao espírito típico do período.

Mas eu já trabalhei em empresas que mantinham a tradição de distribuir este mimo, e lembro bem de um outro lado, no qual é trabalhoso obter, armazenar e distribuir as cestas, e a equipe responsável acabava ainda exposta a reclamações de gente que não aprova a distribuição de uma bebida alcoólica junto com o presente desta data, que não gosta de abacaxi em calda e quer trocar por outra que venha com figo, que reclama porque o panetone está amassado e o papai noel de chocolate veio derretido (algo lamentavelmente comum nesta época do ano), etc.

Uma solução diferente

Tudo isso é simplesmente a natureza humana em operação, e todos sabem disso (e no ano seguinte farão de novo), mas neste ano a empresa Ticket propôs algo diferente, que pode ser uma solução para quem quer dar o brinde para seus colaboradores mas não tem compromisso com a ideia de uma cesta de Natal previamente montada: o Ticket Alimentação Natal.

A ideia é simples: o brinde é substituído por um cartão especial que tem todos os requisitos de um ticket alimentação usual, mas é específico para a ocasião, emitido para cada colaborador no valor que a empresa definir, e que permite a cada um deles ir montar no supermercado uma cesta como preferir, sem as velhas pendengas do figo X pêssego ou da rejeição à inclusão da garrafa de bebida para brindar na ceia.

A natureza humana não muda, e continuará a haver os insatisfeitos, que prefeririam receber produtos pré-escolhidos a lidar com a sua própria escolha, ou os que prefeririam a sua parte em dinheiro vivo ("o salário eles não aumentam, né!"), ou ainda os que criticarão o que os colegas farão com os tickets deles.

Eu testei um

Eu recebi um ticket para testar, e aprovei: funciona como eu esperava, e a sensação de fazer compras com o ticket natalino não era a mesma de fazer compras com o ticket-alimentação nosso de cada dia, que era o que eu temi a princípio.

Gostaria de poder testar o outro lado da moeda, que seria distribuir o Ticket a algumas dezenas de trabalhadores e analisar a reação, mas isso fica para outra hora ツ

De qualquer forma, a minha visão é de que a maioria dos funcionários que receberem ficará mais satisfeita podendo fazer suas próprias escolhas sobre o conteúdo da cesta de final de ano, e que aquela equipe que no ano passado precisou se desdobrar para obter, armazenar e distribuir as cestas físicas poderá agora cumprir seu objetivo com menos esforço.

Recomendo, portanto, uma boa olhada no Ticket Alimentação de Natal – quem sabe é a solução ideal para a sua equipe?

E aproveito para parabenizar à Ticket, que por meio de uma ação de marketing bem colocada me trouxe ao conhecimento este novo serviço, que me parece uma boa ideia que assim acabou compartilhada (porque eles me encontraram e eu gostei do produto - este não é um "publieditorial"...) com aqueles entre vocês que estão em posição de considerar distribuir brindes de Natal a suas equipes!

Comentar

Comentários arquivados