Como redigir textos melhores usando o poder do esqueleto

O esqueleto, neste caso, não é o que sustenta o nosso corpo, nem aquele que tinha como obsessão invadir o castelo de Grayskull – é a lista ordenada de todos os capítulos, seções ou ideias que o seu texto precisará conter.

Para fazer um TCC ou artigo científico, o esqueleto é a lista de seções ou capítulos. Para dar início a um texto curto como este que você está lendo, o esqueleto é uma lista de ideias ou de parágrafos.

Em ambos os casos, entretanto, estou falando de uma lista que pode ser composta em 10 minutos, a partir do entendimento da mensagem que se deseja comunicar e dos padrões de forma ou estrutura adotados (uma dissertação pela norma da ABNT é diferente de um conto, que é diferente de um artigo de blog, etc.).

O esqueleto original do texto que você está lendo era assim:

  • o que é o esqueleto de texto
    • estrutura + mensagem
    • exemplo
    • provisório, mas ordenado
    • planta de reforma
  • vantagem: primeiro pensa no todo, e o texto nasce estruturado
  • ferramentas - mindmap, ishikawa, txt
  • conclusão: o que fazer depois, e como verificar se está pronto

O tamanho dele não é proporcional ao do texto final: o esqueleto de um TCC de graduação poderia perfeitamente ter apenas o dobro do tamanho do esqueleto deste texto de uma página.

O esqueleto não é uma lista definitiva: itens podem ser acrescentados, removidos ou renomeados depois. Mas é importante notar que não estamos falando de uma pilha de ossos amontoados, e sim de um esqueleto montado, com cada ossinho em seu lugar: títulos de capítulos ordenados e estruturados (ou seja, demarcando o que é subtítulo, etc.).

Fazendo uma planta da sala antes de planejar quais móveis comprar

A razão para começar escrevendo um esqueleto é a mesma para fazer uma planta da sala antes de planejar quais móveis comprar: ver antes como vai ficar, para não sair comprando itens dispersos até o dinheiro acabar, nem comprar itens que não caibam.

No caso do texto, ter antecipadamente uma lista de capítulos evita pesquisar itens desnecessários ou deixar de levantar uma informação essencial por não perceber a tempo que ela seria necessária.

Assim como no caso da mobília da sala, ter antes a planta do resultado desejado também evita criar o texto desconjuntado que pode surgir quando saímos cuidando de cada trecho separadamente e só depois vamos pensar em como "fazer caber" em um conjunto único que será a nossa obra.

Partir do todo para as partes é uma técnica comum de projeto estruturado, e existem várias ferramentas aplicáveis, incluindo diagramas no estilo Ishikawa (espinha de peixe) e os mapas mentais, favoritos de bastante gente. Eu prefiro a simples lista ordenada em um editor de texto, e você pode experimentar para escolher o que mais lhe agrada.

Depois é só identificar as informações necessárias para compor cada um dos ossos, usando o esqueleto como roteiro, e pronto: sua obra já nasce estruturada, e você conta até com um guia previamente definido para decidir se ela já está, de fato, pronta. Tudo isso graças ao poder do esqueleto ツ

Comentar

Comentários arquivados